sexta-feira, 11 de julho de 2008

DESEMBARGADOR TEM FILHO NA FOLHA SALARIAL DA PREFEITURA DE DUQUE DE CAXIAS.


E, por falar em explicações uma nota publicada na coluna do Ancelmo Góes, no domingo dia 6 último, deixou a rapaziada que freqüenta os bares e barbearias próximos à Praça Roberto Silveira, totalmente encafifados e até resultou num bolo de aposta. A nota com o título ‘Dura Lex’ dizia o seguinte; "O possível envolvimento de um desembargador com denúncia de suposta propina política agita o TJ do Rio.O corruptor seria um prefeito de grande cidade fluminense”. Então o motivo das apostas,é que se por um acaso, a tal cidade for Duque de Caxias, segundo os contendores, será que o desembargador envolvido, seria o mesmo cujo filho é advogado e se encontra na folha de pagamento do atual prefeito,lotado em seu gabinete, com um CC1, como um dos 27 assessores parlamentares do chefe do Executivo? Ou será que o desembargador é um outro, cujo trabalhinho, seria ajudar a tirar o seu opositor do caminho? Seria a tal carta na manga que o atual mandatário da cidade, enfatiza que tem para ganhar as eleições de 5 de outubro próximo. Nossa como essa gente é maldosa. A not diz uma grande cidade flumiense e não da Baixada.
ELE DEVIA ERA CORTAR O SALÁRIO DESSE ASSESSOR QUE QUER, ATRAVÉS DE SEU PAI, IMPUGNAR A CANDIDATURA DE ZITO.

3 comentários:

fha loan disse...

I like the way you wrote this kind of blog.


fha loan

Rubia kioto disse...

REVISTA ÉPOCA ENTREVISTA MELQUI NASCIMENTO

A edição desta semana(nº 530) da Revista Época, página 114, Melqui Nascimento analisa a questão da violência policial e critica o processo de formação dos PMs,conforme transcrição abaixo:

"Segundo o tenente Melquisedec Nascimento,presidente da Associação dos Militares Auxiliares e Especialistas, os procedimentos de abordagem ,mesmo que aprendidos durante o processo de formação do policial,são ignorados no momento de agir.Isso se deve à cultura da violência da corporação. Mesmo que os superiores não incentivem esse comportamento,o policial bem-visto pelos colegas é o que mais mata. Parte dessa cultura está ligada à origem social dos jovens que entram na PM,atrás de um salário bruto de R$ 900. Para formar um policial,não basta um curso preparatório.É preciso dar exemplo no dia-a-dia da Corporação.Antes de sair armado às ruas,o policial passa dois meses acompanhando alguém de patente superior. Até receber arma e munição,dispara,na academia, apenas 20 tiros de pistola e outros 20 de fuzil. É preciso intensificar o treinamento e erradicar essa cultura da violência da Polícia"

http://amigosdomelqui.blogspot.com/

Anônimo disse...

Vou dar 24 horas para tirarem o blog do ar.
Primeiro e último aviso.
Caso queiram continuar estaremos prontos para impor a voces as consequencias.


DRCI
Antenor Lopes Júnior